terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

ARQUIDIOCESE LANÇA 2ª CAMINHADA DA SOLIDARIEDADE


A Arquidiocese de Natal lança a 2ª Caminhada da Solidariedade, na próxima quarta-feira, 17, às 12 horas, no auditório da Escola de Governo Cardeal Eugênio Sales, no Centro Administrativo. A Caminhada está marcada para o dia 3 de abril, saindo do Santuário dos Mártires, no bairro de Nazaré, para a Catedral Metropolitana. A renda será revertida para as ações sociais da Arquidiocese.
O lançamento acontece por ocasião da 55ª Assembleia Pastoral Arquidiocesana, que acontece de 17 a 19 deste mês, na Escola de Governo, com a participação de mais de 200 pessoas, entre padres, diáconos, religiosos e leigos.
A Assembleia será coordenada pelo Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha, e assessora pelo especialista em planejamento estratégico, Domenico Corcione, de Recife (PE). Nestes dias, será construído o Plano Pastoral da Arquidiocese de Natal para o quadriênio 2016-2019.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

TEMPO DA QUARESMA


A CERIMÔNIA DE IMPOSIÇÃO das cinzas dá início a um período espiritual singularmente importante para todo cristão que busca se preparar para viver melhor e mais profundamente o Mistério Pascal, que se reflete na Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Este especial tempo litúrgico busca o cumprimento da exortação evangélica essencial: "Convertei-vos", imperativo que é proposto a todos os fiéis mediante as palavras do rito da Quarta-feira de Cinzas: "Convertei-vos e crede no Evangelho" e na expressão "Lembra-te de que és pó e ao pó voltarás". Recorda a inexorável finitude e a efêmera fragilidade da vida humana neste mundo, sujeita à morte.

A cerimônia das cinzas eleva o pensamento à Realidade eterna, Deus; Princípio e Fim, Alfa e Ômega de toda existência. A conversão não é, com efeito, nada mais que um voltar a Deus, valorizando as realidades terrenas sob a luz indefectível de sua verdade. Valorização esta que implica uma consciência cada vez mais clara do fato de que estamos de passagem neste fadigoso itinerário sobre a Terra, e que nos impulsiona e estimula a trabalhar até o final, a fim de que o Reino de Deus se instaure dentro de nós e triunfe em sua justiça.

Sinônimo de "conversão", é também a palavra "penitência", como mudança de mentalidade; penitência como expressão de livre e positivo esforço no seguimento de Cristo.

Tradição

Na Igreja primitiva, variava a duração da Quaresma, mas eventualmente começava seis semanas (42 dias) antes da Páscoa. Isto só dava por resultado 36 dias de jejum (já que se excluem os domingos). No século VII foram acrescentados quatro dias antes do primeiro domingo da Quaresma, estabelecendo-se os quarenta dias de jejum (afora os domingos), para imitar o jejum do Cristo no deserto.

Era prática comum em Roma que os penitentes começassem sua penitência pública no primeiro dia de Quaresma. Eles eram salpicados de cinzas, vestidos com saial e obrigados a manter-se longe até que se reconciliassem com a Igreja na Quinta-feira Santa ou na Quinta-feira antes da Páscoa. Quando estas práticas caíram em desuso (séc. VIII ao X), o início da temporada penitencial da Quaresma foi simbolizada com a imposição do cinzas nas cabeças de todos os membros da congregação.

Hoje, na Quarta-feira de Cinzas o cristão recebe uma cruz na fronte com as cinzas obtidas da queima das palmas usadas no Domingo de Ramos do ano anterior. Esta tradição da Igreja ficou como simples serviço em algumas igrejas protestantes, como a anglicana e a luterana. A Igreja Ortodoxa começa a Quaresma a partir da segunda-feira anterior e não celebra a Quarta-feira de Cinzas.

Preparação
O Tempo Quaresmal é, então, principalmente o tempo de preparação para a Páscoa. – Um período privilegiado que leva o cristão a penetrar fundo no sentido de sua condição de filho de Deus, destinado a uma eternidade repleta de felicidade na Casa do Pai, pois foi resgatado pelo Sangue de Cristo.

A Quaresma começa na quarta-feira de cinzas e termina no Sábado Santo ou de Aleluia, anterior ao Domingo de Páscoa: ao total são 46 dias, da quarta feira de cinzas ao sábado. Durante esses dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa, os cristãos dedicam-se à reflexão e à conversão espiritual, e se recolhem em oração e penitência, para lembrar não só os 40 dias no deserto como também os sofrimentos que Deus feito homem suportou por cada um de nós na cruz.

Quaresma é o tempo propício e oportuno para o cristão buscar a imersão na Misericórdia divina e se tornar, de fato, discípulo de Jesus. Para lembrar que temos obrigação, enquanto cristãos, de sermos misericordiosos com o nosso próximo. Oração, penitência, jejum e esmola são meios para se alcançar os objetivos da Quaresma. Não precisamos necessariamente multiplicar as nossas orações, mas sim rezar apaixonadamente a cada dia, participar nas Missas dominicais com especial atenção e dedicação, e coroar essas práticas com a Comunhão no Corpo e Sangue do Senhor.

Temos agora a maravilhosa oportunidade de participar das orações da Via Sacra, que nos ajudam a aguçar a consciência da Presença do Deus Conosco, todos os dias, a todo momento, este Deus Uno “no qual existimos, nos movemos e somos” (At 17,28).

Viver a quaresma também é buscar a oração em família e a leitura diária da Bíblia, ainda que de pequenos trechos. É fazer uma tranquila caminhada num parque, contemplando as maravilhas que Deus espalhou por toda parte, percebendo a beleza das árvores, o perfume das flores, o cântico dos pássaros, o que nos possibilita experimentar um notável bem-estar psicossomático: viver a Quaresma é estar atento às inspirações do Espírito Santo, que vem a cada um “com gemidos inexplicáveis” (Rm 8,26).


O jejum é prescrito para a Quarta-feira de Cinzas e a Sexta-feira da Paixão, no espírito de penitência próprio da Quaresma: fome e sede do Deus Vivo. Ainda mais interessante é jejuar dos programas de TV que promovem a prostituição, o adultério e o homossexualismo. Muitos, depois, nem regressam mais às famigeradas novelas e reality shows que promovem a vulgarização da mulher, o sentimento de rivalidade entre os semelhantes, a falsidade, a mesquinharia, a egolatria. Jejum do medo, da ansiedade e do pânico característicos da falta de confiança no Ser Supremo, nosso Pai do Céu, que é maior do que tudo. Jejum da violência, seja nas palavras, nos gestos e atitudes, no cultivo da paciência e da mansidão, frutos do Amor divino.

A ascese, bem direcionada e com o propósito correto, é válida e útil: muitos aproveitam esta temporada de graças especiais para acertar o peso e entrar no ritmo de uma dieta saudável para o corpo e para a alma; – o que não é o fim nem a razão dessas práticas espirituais, mas sim uma consequência, um resultado secundário de se viver bem a vida cristã. – Alguns escolhem, como penitência, se privar das guloseimas, que só servem para satisfazer a gula, prejudicando a saúde e a boa forma. Os que abusam do álcool também podem se libertar do vício ou do consumo exagerado. O mesmo se diga do cigarro.

Uma resolução firme, nesta caminhada quaresmal, já significou para inúmeras pessoas o renascer para a perfeita liberdade.
Quaresma é época de uma maior fraternidade, na ajuda concreta aos pobres. É uma abertura para a vida dos semelhantes que passam privações; é tempo para lutar com mais força contra o aborto; época de conceder o perdão aos que nos ofenderam ou magoaram; de fazer o bem a todos sem “trombetear”. É tempo também de fazer uma boa confissão, de fazer um “pacto” com a própria língua, para não ferir a honra alheia, evitando críticas destrutivas; e para se resolver consigo mesmo, aumentar a autoestima e valorizar as próprias qualidades.

Quaresma é tempo de partilhar a fé com os que se acham perdidos em dúvidas que martirizam e confundem. Quaresma é tempo de rezar com amor e fé pela paz neste mundo conturbado, pelos que sofrem, pelos que ainda não encontraram o Caminho da Vida. Para cumprir o propósito da Quaresma, uma boa dica: examine a sua consciência ao final de cada dia. Coloque-se diante de Deus e diga: “Nisto eu errei; aquilo poderia ter feito diferente, melhor. Amanhã vou melhorar, com a vossa Graça”.

____
Ref.s:
Artigo "Reflexões sobre a Quaresma", site Catequese Católica, disponível em:
http://catequisar.com.br/texto/materia/celebracoes/quaresma/ind.htm
Acesso 17/2/015.
Artigo do
Côn. José Geraldo Vidigal de Carvalho, Apostolado Veritatis Splendor: “Santificar-se na Quaresma”,
disponível em 
http://veritatis.com.br/article/4770,
Acesso 17/2/015.


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

PALAVRA A TODOS OS FIÉIS E REPRESENTANTES DO POVO

O padre Matias, vigário do município de São José de Mipibu, foi amplamente aplaudido pelos paroquianos na missa do último sábado.

Adotando um estilo próprio, o padre Matias, vigário novo na cidade, para se inteirar da vida religiosa e social do seu rebanho, tem visitado inúmeras famílias , a convite dos paroquianos,e em conversas, tem ouvido as preocupações do seu rebanho sobre as festas promovidas pela Prefeitura, realizadas na frente a Igreja Matriz.

Por unânimidade os católicos e não católicos têm se posicionado em desfavor da realização das festividades públicas nas proximidades da Igreja. Que as festas sejam mantidas, porém, em uma área previamente planejada pelo poder público.

Diante da solicitação feita pela população, o padre Matias encaminhou um documento para a chefe do Executivo, pedindo para que as festividades de grande porte na cidade, não aconteçam nas proximidades da casa de Deus.

O padre fez a leitura do documento encaminhado, e citando um documento celebrado entre a Igreja Católica Apostólica Romana e o governo do Brasil, fundamentou-se em direitos acordados entre as partes, que garantem a integridade física da Igreja Católica.

Depois de fazer a leitura do documento encaminhado ao Executivo, o padre pediu para que fosse feita a leitura do ofício respondido pela Prefeita Norma Ferreira, onde a gestora do município acata o pedido da Igreja, e alerta os paraquianos e a população ,para a possibilidade da não realização do "São João em São José", em função das dificuldades financeiras que o município vivencia.

Terminadas as leituras dos dois documentos, em sinal de respeito e reconhecimento pela atuação do padre Matias, os paroquianos aplaudiram o seu vigário.

Terminada a celebração, no centro da cidade, logo que a notícia se espalhou, todos louvaram o gesto do padre Matias, que com a atitude que tomou, fez a população recordar do saudoso monsenhor Barros, que certamente também teria tomado a mesma decisão.

Esta é a imagem que fica da Igreja Matriz de Sant'Ana e São Joaquim, em São José de Mipibu, logo após os eventos realizados pela Prefeitura Municipal.

" É O PADRE E O NEGÓCIO JÁ PEGOU... "

FONTE: http://www.blogdedaltroemerenciano.com.br/2010/05/padre-matias-foi-aplaudido-pelos-paroquianos/

Um comentário:

PREZADOS AMIGOS E PAROQUIANOS,

ESTA MATÉRIA FOI POSTADA NO DIA 03/05/2010, NUM DOS BLOGS DA NOSSA CIDADE. SEM DÚVIDA, FOI UMA DAS CONQUISTAS MAIS SIGNIFICATIVAS QUE JÁ TIVEMOS EM NOSSO PAROQUIATO, POR CAUSA DAS "SOLICITAÇÕES DOS FIÉIS CATÓLICOS E NÃO CATÓLICOS DA NOSSA PARÓQUIA E MUNICÍPIO", QUE FOI A RETIRADA DAS FESTIVIDADES COM GRANDES MULTIDÕES DE FRENTE DA IGREJA MATRIZ DE SANT'ANA E SÃO JOAQUIM. "VALE ENFATIZAR QUE ERA UM PROFUNDO DESEJO DOS PAROQUIANOS". FOI UM ANSEIO QUE NOS LEVOU AO DIÁLOGO COM O PODER EXECUTIVO DE ENTÃO, QUE PRONTAMENTE ATENDEU AO PEDIDO. INFELIZMENTE, ESTE ACORDO, QUE SINALIZAVA O RESPEITO E ATENÇÃO A TODA COMUNIDADE CRISTÃ CATÓLICA FOI DESRESPEITADO. COMO É NOTÓRIO, NESTAS FESTIVIDADES CARNAVALESCAS.

A IGREJA MATRIZ DE SANT'ANA E SÃO JOAQUIM É UM PATRIMÔNIO RELIGIOSO E HISTÓRICO QUE DEVE SER PRESERVADO POR "TODOS OS MIPIBUENSES", AINDA MAIS, OS QUE SÃO REPRESENTANTES PÚBLICOS. NO TEMPO EM QUE CHEGUEI AQUI PARA ASSUMIR O PAROQUIATO, TANTOS FIÉIS RECLAMARAM QUE A "IGREJA MATRIZ TINHA QUE SER PRESERVADA E RESPEITADA". AS PESSOAS URINAVAM NAS PROXIMIDADES DO TEMPLO, O SOM QUE, LIGADO POR VÁRIAS NOITES E COM ALTÍSSIMO VOLUME, PREJUDICAVA TODA A ESTRUTURA FÍSICA, AS IMAGENS QUE SÃO TOMBADAS, OS TRANSTORNOS QUE SÃO CAUSADOS AOS MORADORES DA VIZINHANÇA, JÁ QUE O CENTRO DA CIDADE NÃO COMPORTA FESTAS DESTE PORTE. JÁ PASSOU DA HORA DO PODER PÚBLICO "CONSTRUIR UM ESPAÇO APROPRIADO PARA ESTAS FESTIVIDADES". O RESPEITO À VONTADE DA POPULAÇÃO, PRINCIPALMENTE DAQUELA QUE É PREJUDICADA POR ESTAS AÇÕES DEVERIA SER CONSIDERADA. NÃO ENTRAREMOS EM TANTAS OUTRAS CONSIDERAÇÕES QUE SÃO FUNDAMENTAIS PARA A VIDA DO MUNICÍPIO E QUE ESTÃO SENDO DEIXADAS A DESEJAR. POR QUE INSISTIR NO RETORNO DESTAS FESTAS PARA A FRENTE DA MATRIZ? SE FAZEM QUESTÃO DE DIZER, PRINCIPALMENTE EM TEMPOS DE POLÍTICA PARTIDÁRIA, QUE SÃO DE SÃO JOSÉ E FAZEM TANTAS PROMESSAS, PORQUE NÃO PRESERVAM O QUE EXISTE DE MAIS IMPORTANTE DA CULTURA DO POVO MIPIBUENSE? SE QUERER OFERECER "FESTIVIDADES PARA O POVO",  QUE O FAÇAM SALVAGUARDANDO A IDENTIDADE CULTURAL DESTE MESMO POVO. "O SENTIMENTO RELIGIOSO É O QUE EXISTE DE MAIS SIMBÓLICO DA IDENTIDADE CULTURAL DOS MIPIBUENSES". CUIDEM DISTO! SE NÃO O FAZEM POR AMOR, FAÇAM AO MENOS POR UMA OBRIGAÇÃO CIDADÃ. QUAL SERÁ A INTENÇÃO DESTE PRIMEIRO MOMENTO? ELE É PREPARATÓRIO PARA QUE?

TENHO VÁRIAS OBSERVAÇÕES, MAS, SEM MAIS DELONGAS, TORNO PÚBLICO E NOTÓRIO, EM NOME DOS PAROQUIANOS DE SANT'ANA E SÃO JOAQUIM, QUE AMAM E ZELAM PELO BEM DA IGREJA MATRIZ, "QUE SOMOS TOTALMENTE CONTRÁRIOS À REALIZAÇÃO DE FESTIVIDADES DE GRANDE PORTE QUE JÁ CAUSARAM TRANSTORNOS E, QUE, POSSIVELMENTE, NUM FUTURO NÃO TÃO DISTANTE, VOLTEM A CAUSAR PERTUBAÇÕES QUE FEREM O SENTIMENTO RELIGIOSO E À ESTRUTURA FÍSICA DA IGREJA MATRIZ, COMO TAMBÉM AO PATRIMÔNIO LITÚRGICO QUE NELA ESTÁ CONTIDO".

RESPEITOSAMENTE E CIENTE DA RESPONSABILIDADE QUE TEMOS DE CUIDAR DO BEM DA NOSSA TÃO AMADA PARÓQUIA,

PADRE MATIAS SOARES 

PÁROCO DE SÃO JOSÉ DE MIPIBU-RN

domingo, 7 de fevereiro de 2016

TUDO SOBRE A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

Para se aprofundar mais sobre a Campanha da Fraternidade 2016, assista aos vídeos a seguir.

 


 



Formação para a CFE 2016 - Bem comum

 

 

Formação para a CFE 2016 - Saneamento levado a sério 

 

 

Formação para a CFE 2016 - Terra e água

 

 

Formação para a CFE 2016 - O Legado da degradação 

 

 

Formação para a CFE 2016 - Água para quem?

 

 

Formação para a CFE 2016 - Catadores em luta 

 

 

Formação para a CFE 2016 - Empoderar para mudar

 

 

Formação para a CFE 2016 - Poluição coletiva 

 

 

Formação para a CFE 2016 - Produzir sem destruir