domingo, 9 de março de 2014

QUARTA-FEIRA DE CINZAS PROPÕE REFLEXÃO PESSOAL E CARIDADE

A quarta-feira de cinzas, que marca o início do período quaresmal, é um período que propõe uma reflexão pessoal, principalmente por meio do jejum e da caridade. Nesta edição do jornal A Ordem, trazemos uma entrevista com o vigário paroquial de Sant'Ana e São Joaquim, da cidade de São José de Mipibu, Padre Lenilson Morais. Ele fala que a quarta-feira de cinzas é simbolizada pela penitência, e indica a renúncia para o crescimento espiritual. "Nesse mundo tão agitado, nós somos convidados a olhar para uma dimensão mais profunda", sugere.

A Ordem - Qual o significado da "quarta-feira de cinzas"?
Pe. Lenilson - A quarta-feira de cinzas, como o nome já nos faz lembrar, nos recorda a fragilidade do ser humano. As cinzas são usadas desde a antiguidade pelo povo hebreu, nos seus rituais. Por exemplo, se vemos o livro de Jonas, a cidade de Ninive faz penitência, cobrindo-se de cinzas, vestindo-se de sacos, para recordar a fregilidade do ser humano, e a necessidade de confiar na misericórdia de Deus; portanto, um sinal externo de penitência, mas que deve revelar a interioridade do coração do homem, a conversão, o seu desejo de voltar a Deus. Então, a quarta-feira de cinzas é, para a Igreja, um dia marcante, pois ela inicia o período quaresmal, período da penitência e conversão.

A Ordem - Porque fazer jejum neste dia?
Pe. Lenilson - O jejum tem vários sentidos, mas, dois sentidos são os principais, pelos quais nós fazemos esta penitência. Primeiro, para indicar que temos necessidade de controlar os nossos impulsos, que nós não podemos ser dominados por aquilo que é imediato, pelo desejo natural de todo animal, o desejo de comer, o desejo de manter relações sexuais, a luta pela sobrevivência a todo custo, mas, o ser humano precisa ter o autocontrole. Então, a penitência é um modo de indicar essa renúncia para o seu crescimento. Mas, essa penitência sem a segunda parte, o segundo aspecto, ela perde o seu sentido. O segundo aspecto é a caridade. Para que eu faço jejum? Para que eu me recorde daquelas pessoas que, por algum motivo, da injustiça social, sobretudo, estão privadas dos bens essenciais para a sua subsistência. Então, eu sou recordado por aquela penitência, por aquele jejum, que eu tenho uma co-participação, sou solidário com aquelas pessoas. O que eu devo me perguntar na quarta-feira de cinzas, e também em outros momentos de penitência é: o que é que eu faço com aquele alimento que eu renunciei? O que eu farei com este alimento que eu não usarei, não comerei, não beberei? Claro que, não necessariamente é aquele alimento em si, mas, algo que signifique que eu me lembro daquelas pessoas que, talvez, durante o ano todo, façam jejum sem querer, mas, pelas necessidades, pelas circunstâncias.

A Ordem - Qual a relação entre a quarta-feira de cinzas e a quaresma?
Pe. Lenilson - É uma relação imediata e também muito profunda, porque a quarta-feira de cinzas é simbolizada por esta penitência externa, com as cinzas que se impõem sobre nossas cabeças, pelo jejum que indica este desejo do controle de si mesmo, e também, do lembrar-se do outro. Isso tudo tem a ver com o período quaresmal, que não é um período de tristeza, mas um período no qual nos voltamos mais para a nossa interioridade. Nesse mundo tão agitado, de imagens, de muito som, nós somos convidados a olhar para uma dimensão mais profunda. E olhando para nós mesmos, enxergar nossa humanidade, as nossas misérias, e, a partir daí, somos convidados a esta intensidade maior da escuta da Palavra de Deus. Somos convidados à conversão sncera e interior, que foi sinalizada pelas cinzas da quarta-feira. Também somos convidados à solidariedade, Nós, aqui no Brasil, temos a felicidade de poder celebrar também, a Campanha da Fraternidade, de onde essa dimensão da solidariedade, justiça social e cuidado com o outro, se faz bem mais presente, devido aos temas que são tratados, como o deste ano, sobre o tráfico humano.

A Ordem - Que recomendações o Sr. pode dar para que os fiéis vivam essa data de forma cristã?
Pe. Lenilson - Eu diria que a quarta-feira de cinzas aponta e sugere para nós um modo de viver a quaresma, em vista da páscoa. Se o cristão começa bem essa disposição, este abrir o coração, e guiar toda a sua quaresma por uma frase muito forte na sagrada escritura, que aparece sobretudo nos salmos, como também em algumas exortações dos evangelhos, das cartas dos apóstolos, sobretudo São Tiago: não sede apenas ouvintes da Palavra de Deus, mas, praticantes da Palavra. Então, para ser praticante da Palavra de Deus, é preciso ouvir. É o período da escuta. A partir da escuta, da contemplação daquilo que Deus nos fala, a gente pode, vivendo bem este dia, abrir o coração, o caminho para uma quaresma de real e verdadeira preparação para a páscoa do Senhor.

Entrevista do Padre Lenilson de Morais feita pelo jornal A Ordem, da nossa Arquidiocese.




Pe. Lenilson de Morais
Vigário Paroquial de São José de Mipibu - RN

0 comentários:

Postar um comentário